Lá longe

Lá longe
Onde a polícia lavra os campos

Lá longe
Onde ninguém cresce nem diminui,

Lá longe
Onde navios de guerra dormem dentro de garrafas.

Lá longe
Onde Oriente e Ocidente
Debruçados à janela dialogam.

Lá longe
Onde cada um
Tem seu pão, sua dama e sua paz,

Lá longe
Onde os descantos antigos movem o rio,

Lá longe
Onde forma, palavra e energia se unem,

Lá longe
Onde Deus caminha com pés de alfombra,

Lá longe
Onde "Quero nascer" a morte diz.

Murilo Mendes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s