Moral abreviada

Uma nuca de loura e de graça inclinada,

Um colo que arrulha, belos, lascivos seios,

Com medalhões escuros na mama afogueada,

Esse busto se assenta em baixas almofadas

Enquanto entre duas pernas para o ar, vibrantes,

Uma mulher se ajoelha – ocupada com quê?

 

Amor o sabe – expondo aos deuses a epopéia

Singela de seu cu magnífico, um espelho

Límpido da beleza, que ali quer se ver

Pra crer. Cu feminino, que vence o viril

Serenamente – o de efebo e o infantil.

Ao cu feminino, supremo, culto e glória!

 

 

Paul Verlaine

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s